Debate Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos 19/4 19h

Debate online gratuito sobre Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos dia 19 de abril das 19h às 20h com Cristiana Mattos do Colégio Bandeirantes, Martin Restrepo da Editacuja Editora e André Genesini da ABED / Educamos Online.

Internautas podem participar com perguntas e também enviar sua pergunta aqui no blog através dos comentários. A mediação será de Renata Aquino (@renataaquino) e Neli Maria Mengalli (@nelimaria), do Aprender com Projetos e de Luciana Allan, do Instituto Crescer.

O debate será realizado pelo site Twitcam.com e possibilitará também o envio de comentários durante o debate. Após o evento, síntese e gravação serão publicados aqui no Aprender com Projetos.

Saiba mais sobre os participantes;

Cristiana Mattos

Cristiana Mattos

Profa. Dra. Cristiana Mattos (@crismattos) é  formada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo, e tem seu mestrado e doutorado em Instructional Design and Media pela Universidade de Columbia da Cidade de New York. É Coordenadora de Tecnologia Educacional no Colégio Bandeirantes desde 2002, onde implementou um curso de capacitação de professores em tecnologia educacional, coordena projetos de EAD e criou o curso de Ética e Cidadania Digital para todos os funcionários e alunos, onde se discute a segurança na internet.

Martin Restrepo

Martin Restrepo

Martin Restrepo (@mrestrepo) é Especialista em Mobile Learning, Martín é Sócio-Fundador da Editacuja, editora transmídia  que integra tecnologias para o desenvolvimento de ações educacionais e culturais. Fundador do MobileMonday São Paulo, tem contribuído para a democratização do mercado de tecnologias móveis. Também foi Diretor de Operações e Assessor de Projetos Produtivos do TecnoParque Colômbia, programa de fomento à cultura empreendedora do governo da Colômbia.

André Genesini

André Genesini

André Genesini (@temperodaalma) é Mestre em Educação: Currículo pela PUC-SP. Area de Pesquisa Principal: Work based Learning ou Aprender através da prática (para Ensino Superior). Formado em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas – SP (1993). Atualmente é especialista em educação a distância, professor universitário, pesquisador na área de educação.

Luciana Allan

Luciana Allan

Luciana Maria Allan (@lucianaallan) é Diretora Técnica do Instituto Crescer. Formada em Matemática e Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP. Atua há umas de uma década na área de Informática Educacional, principalmente em atividades relacionadas à formação de professores.

Anúncios

Sobre Instituto Crescer
Fundado em outubro de 2000, o Instituto Crescer para a Cidadania tem como missão atuar como agente transformador, criando oportunidades de crescimento e desenvolvimento de pessoas e organizações, rumo à cidadania.

39 Responses to Debate Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos 19/4 19h

  1. Caros, como pode ser feita a Aprendizagem Baseada em Projetos com dispositivos móveis? Vocês conhecem alguns exemplos?

  2. adriana says:

    Olá caros, gostaria de saber se, na opinião de vcs, o tamanho dos dispositivos móveis pode, de alguma forma, comprometer uma aprendizagem baseada em projetos? Porque?

  3. equipeabp says:

    Adriana, questões registradas.

    Temos:

    1. Como pode ser feita a Aprendizagem Baseada em Projetos com dispositivos móveis? Registrem exemplos.
    2. O tamanho dos dispositivos móveis pode, de alguma forma, comprometer uma aprendizagem baseada em projetos? Por quê?

  4. Leandro W says:

    Qual é o pincipal desafio do uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos? De que forma tais dispositivos podem engajar alunos e mestres?

  5. Uma das questões atuais que afligem os professores em situações presenciais diz respeito ao uso de aparelhos móveis. Inicialmente o debate era ao redor do celular, permitir o seu uso ou não em sala de aula – ou ainda orientar quanto ao uso do mesmo. Mais atualmente, principalmente devido a portabilidade e aos novos dispositivos, do iPhone ao iPad e Android a questão se amplia, posto que muitos acadêmicos os usam para fazer notas durante as aulas e mesmo postar tweets sobre elas. Gostaria de ver esta antiga polêmica contextualizada pelos colegas e, suas posições diante dos atuais panoramas. Obrigado.
    Prof. Dr. Luís Carlos Petry, Programa de Pós-graduação em Tecnologias da Inteligência e Design Digital da PUCSP.

  6. Suzana Weber says:

    Falando em Brasil, como o uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos pode ajudar a melhorar o ambiente educacional?

  7. Solange Giardino via Facebook

    Estamos em um momento de impasse. As editoras e sistemas de ensino tem interesse em produzir conteúdos para dispositivos móveis. O problema reside no fato de que não sabemos para qual plataforma criar. Quais são as tendências? O que sugerem?

    • Edna Silva de Barros: Como e qual sera a participação Politica Social do novo governo na Educação e Mobilidade ? Via fb

      • Edna Silva de Barros: Os Educadores estão cientes de suas responsabilidades perante a educação e Mobilidade? Via fb

  8. Ricardo Takashi Abe says:

    Como lidar com o preconceito dos mais tradicionalistas em relação às novas tecnologias? E mesmo assim, como inserir a experiência da didática tradicional ao novo contexto?

  9. Reinaldo Seriacopi says:

    Muito se fala do uso do tablets em sala de aula. O quanto isso é factível com a realidade do Brasil, considerando-se que ivemos ainda em um país em que há crianças que sofrem com a falta de carteiras, de material escolar ou estudam em escolas de zinco.
    Obrigado

  10. Erisana Sanches Victoriano says:

    Olá,

    Tenho interesse em compreender melhor as possibilidades de cursos online em que se consiga interação intensa entre os participantes, mas também alto nível de complexidade durante as interações e atividades. Como isso pode ser possível por meio de projetos e com mobilidade? Vocês tiveram alguma experiência de sucesso nesse âmbito?

    Abraço.

  11. Maysa says:

    A minha inquietação é sempre a respeito da formação dos professores. Quão envolvidos eles estão ou querem realmente estar nesse processo?
    Outro questionamento: em que nível, da educação básica ao ensino superior, vcs vêem mais viabilidade, possibilidade, sucesso para o uso dos dispositivos móveis
    Obrigada!

  12. Em que tipo de projetos os dispositivos móveis NÃO são indicados?

  13. equipeabp says:

    Organização das questões:

    1. Como pode ser feita a Aprendizagem Baseada em Projetos com dispositivos móveis? Vocês conhecem alguns exemplos? (nelimariamengalli)
    2. O tamanho dos dispositivos móveis pode, de alguma forma, comprometer uma aprendizagem baseada em projetos? Por quê? (adriana)
    3. Qual é o principal desafio do uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos? De que forma tais dispositivos podem engajar alunos e mestres? (Leandro W)
    4. Contextualização de:

    […] uso de aparelhos móveis. Inicialmente o debate era ao redor do celular, permitir o seu uso ou não em sala de aula – ou ainda orientar quanto ao uso do mesmo. Mais atualmente, principalmente devido a portabilidade e aos novos dispositivos, do iPhone ao iPad e Android a questão se amplia, posto que muitos acadêmicos os usam para fazer notas durante as aulas e mesmo postar tweets sobre elas. (Luís Carlos Petry)

    5. Como o uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos pode ajudar a melhorar o ambiente educacional? (Suzana Weber)
    6. As editoras e sistemas de ensino têm interesse em produzir conteúdos para dispositivos móveis. O problema reside no fato de que não sabemos para qual plataforma criar. Quais são as tendências? O que sugerem? (Solange Giardino)
    7. Como e qual será a participação Política Social do novo governo na Educação e Mobilidade? Os Educadores estão cientes de suas responsabilidades perante a educação e Mobilidade? (Edna Silva de Barros)
    8. Como lidar com o preconceito dos mais tradicionalistas em relação às novas tecnologias? E mesmo assim, como inserir a experiência da didática tradicional ao novo contexto? (Ricardo Takashi Abe)
    9. O quanto isso é factível (uso do tablets em sala de aula) com a realidade do Brasil, considerando-se que tivemos ainda em um país em que há crianças que sofrem com a falta de carteiras, de material escolar ou estudam em escolas de zinco? (Reinaldo Seriacopi)
    10. Como isso (possibilidades de cursos online em que se consiga interação intensa entre os participantes, mas também alto nível de complexidade durante as interações e atividades) pode ser possível por meio de projetos e com mobilidade? Vocês tiveram alguma experiência de sucesso nesse âmbito? (Erisana Sanches Victoriano)
    11. Quão envolvidos eles estão ou querem realmente estar nesse processo? Existe a viabilidade, possibilidade, sucesso para o uso dos dispositivos móveis para a educação? (Maysa)
    12. Em que tipo de projetos os dispositivos móveis NÃO são indicados? (José Antonio Meira da Rocha)

    Veja as questões e traga mais para o evento Debate Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos, dia 19 de abril de 2011, às 19 horas.

  14. Anna Cecilia Galvão via FB – a minha pergunta é: a mobilidade da informação faz parte do mundo contemporâneo. No entanto, a educação brasileira, como sabemos, amarga um atraso de meia década perante os países desenvolvidos. Com deficiente formação dos docentes (repertório e prática) , o uso das redes sociais como ferramenta para a prática de ensino, com exceção, não corre o risco de se colocar o “carro na frente dos bois”?

    • Alessandra Siqueira Koseki: Atualmente se fala muito sobre educação e cidadania… mas como fazer esse debate virar ações efetivas?? Via fb

      • Mind Lab Brasil: O professor faz a diferença?

      • Alessandra Siqueira Koseki: Outra… Mobilidade é algo que já está presente na vida das pessoas (todo mundo tem um celular!!). Há projetos para se usar essa mobilidade como instrumento de capacitação/ educação??

      • Vanessa Dos Santos Nogueira: De que forma podemos organizar uma aprendizagem por projetos utilizando redes sociais nas escolas de educação básica, contemplando as diversas áreas do conhecimento?

        Como mobilizar os professores para trabalhar com a aprendizagem por projetos?

        Via FB

      • Alessandra Siqueira Koseki: Mais uma, agora sobre projetos… Eu trabalhei numa empresa onde a dinâmica era trabalhar por projetos e achava enriquecedor, pois cada momento estávamos envolvidos em equipes interdisciplinares e isso enriquecia o trabalho… Como isso pode ser levado efetivamente para a sala de aula? O que o ENEM e sua interdisciplinaridade podem contribuir para isso? Via fb

      • Paula Ugalde says:

        Professora Renata! Não tenho ‘respostas’ mas mais uma indagação que me inquieta… Como ‘conceber’ uma educação cidadã, que pressupõe ‘n’ competências, onde destaco as de conscientização, participação, diálogos, colaboração, autoria, em ações educativas positivistas, travestidas do novo?! Cito o uso de quizz conteudistas e descontextualizados para os alunos ‘fixarem’ as respostas ‘certas’?

  15. Mauricio Martins de Oliveira says:

    Uma pergunta para o debate:
    Há projetos de governo, em nível federal, voltados para a capacitação de população de baixa renda em áreas técnicas (como por exemplo TI) utilizando EAD. Um exemplo é o ForSoft, do Ministério de Ciência e Tecnologia. Esses projetos procuram aumentar a empregabilidade desta faixa populacional, que tem baixa escolarização básica.
    Pergunto: é possível utilizar EAD neste caso, sem que antes seja resolvido o problema da falta de conhecimento básico em matemática e outras disciplinas elementares dessas pessoas?

  16. Gilmar Luis Mazurkievicz – Ainda existe muito forte a literacia digital entre os docentes, dessa forma a apredizagem por dispositivos moveis poderia contribuir de que forma para diminuir isso?

  17. Com certeza existirão diversos projetos para mobilidade, aprendizagem, educação mas e se forem celulares bem simples com poucos recursos, ainda assim poderiam ser incorporados em algum projeto similar?

  18. equipeabp says:

    Debate online gratuito sobre Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos dia 19 de abril de 2011 das 19 horas às 20 horas com Cristiana Mattos do Colégio Bandeirantes, Martin Restrepo da Editacuja Editor, André Genesini da ABED / Educamos Online e Luciana Allan, do Instituto Crescer.

    Internautas podem participar com perguntas. Enviar no blog Aprender com Projetos em comentários, Facebook Aprenda Projetos e Aprendizagem Baseada em Projetos e Twitter @aprendaprojetos. A mediação será de Renata Aquino (@renataaquino) e Neli Maria Mengalli (@nelimaria), do Aprender com Projetos.

    O debate será realizado pelo site Twitcam.com e possibilitará também o envio de comentários durante o debate. Após o evento, síntese e gravação serão publicados no blog Aprender com Projetos.

    Questões:

    1. Como pode ser feita a Aprendizagem Baseada em Projetos com dispositivos móveis? Vocês conhecem alguns exemplos? (nelimariamengalli)
    2. O tamanho dos dispositivos móveis pode, de alguma forma, comprometer uma aprendizagem baseada em projetos? Por quê? (adriana)
    3. Qual é o principal desafio do uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos? De que forma tais dispositivos podem engajar alunos e mestres? (Leandro W)
    4. Contextualização de: […] uso de aparelhos móveis. Inicialmente o debate era ao redor do celular, permitir o seu uso ou não em sala de aula – ou ainda orientar quanto ao uso do mesmo. Mais atualmente, principalmente devido a portabilidade e aos novos dispositivos, do iPhone ao iPad e Android a questão se amplia, posto que muitos acadêmicos os usam para fazer notas durante as aulas e mesmo postar tweets sobre elas. (Luís Carlos Petry)
    5. Como o uso de dispositivos móveis no aprendizado por projetos pode ajudar a melhorar o ambiente educacional? (Suzana Weber)
    6. As editoras e sistemas de ensino têm interesse em produzir conteúdos para dispositivos móveis. O problema reside no fato de que não sabemos para qual plataforma criar. Quais são as tendências? O que sugerem? (Solange Giardino)
    7. Como e qual será a participação Política Social do novo governo na Educação e Mobilidade? Os Educadores estão cientes de suas responsabilidades perante a educação e Mobilidade? (Edna Silva de Barros)
    8. Como lidar com o preconceito dos mais tradicionalistas em relação às novas tecnologias? E mesmo assim, como inserir a experiência da didática tradicional ao novo contexto? (Ricardo Takashi Abe)
    9. O quanto isso é factível (uso do tablets em sala de aula) com a realidade do Brasil, considerando-se que tivemos ainda em um país em que há crianças que sofrem com a falta de carteiras, de material escolar ou estudam em escolas de zinco? (Reinaldo Seriacopi)
    10. Como isso (possibilidades de cursos online em que se consiga interação intensa entre os participantes, mas também alto nível de complexidade durante as interações e atividades) pode ser possível por meio de projetos e com mobilidade? Vocês tiveram alguma experiência de sucesso nesse âmbito? (Erisana Sanches Victoriano)
    11. Quão envolvidos eles estão ou querem realmente estar nesse processo? Existe a viabilidade, possibilidade, sucesso para o uso dos dispositivos móveis para a educação? (Maysa)
    12. Em que tipo de projetos os dispositivos móveis NÃO são indicados? (José Antonio Meira da Rocha)
    A mobilidade faz parte do mundo contemporâneo, mas existem problemas na área educacional. Não existe risco de colocar o carro na frente dos bois? (Anna Cecilia Galvão)
    13. Atualmente se fala muito a respeito da educação e da cidadania. Como fazer esse debate virar ações efetivas? Mobilidade é algo que já está presente na vida das pessoas. Há projetos para usar essa mobilidade como instrumento de capacitação/ educação? Como trabalhar por projetos pode ser levado efetivamente para a sala de aula? O que o ENEM e sua interdisciplinaridade podem contribuir para isso? (Alessandra Siqueira Koseki)
    14. O professor faz a diferença? (Mind Lab Brasil)
    15. De que forma podemos organizar uma aprendizagem por projetos utilizando redes sociais nas escolas de educação básica, contemplando as diversas áreas do conhecimento? Como mobilizar os professores para trabalhar com a aprendizagem por projetos? (Vanessa Dos Santos Nogueira)
    16. Como ‘conceber’ uma educação cidadã, que pressupõe ‘n’ competências, onde destaco as de conscientização, participação, diálogos, colaboração, autoria, em ações educativas positivistas, travestidas do novo? Cito o uso de quizz conteudistas e descontextualizados para os alunos ‘fixarem’ as respostas ‘certas’? (Paula Ugalde)

    Veja as questões e traga mais para o evento Debate Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos, dia 19 de abril de 2011, às 19 horas.

  19. Pingback: Debate – Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos « Daniel Caixeta Queiroz Garcia – Blog

  20. Edivaldo says:

    Porque a visão de projetos no brasil é tão fragmentada?

  21. Olá, Renata!
    Meus questionamentos:
    1.Quais ações são imprescindíveis na instituição de ensino para se trabalhar com projetos de forma eficaz, isto é, trazendo resultados positivos para o processo ensino-aprendizagem?
    2.O uso de dispositivos móveis na educação pública já é uma realidade? Acredita que a maioria dos professores esteja preparada para atuar pedagogicamente, em sua prática?
    3.O que acha da formação dos professores para o uso das TICs na Educação?
    Bjs…

  22. Elisa Maria Gomide says:

    Olá! O trabalho com projetos só vai se fortalecer no seio educacional a partir do momento que o professor compreender essa forma de aprender e ensinar. Infelizmente nossa mente ainda está condicionada ao aprendizado fragmentado. Acredito que esta realidade ainda se encontra distante das escolas brasileiras. O que tenho observado, exceto claro as exceções, pois temos profissionais que trabalham de forma cooperativa e conseguem envolver os alunos nos projetos propostos, são tentativas de se implantar projetos nas escolas, porém de forma errônea, na maioria das vezes imposto pela gestão ou órgãos superiores. Assim essa estratégia se torna obsoleta e sem sentido para os alunos.
    Desculpem se pareço pessimista, sou uma defensora dos projetos e sempre procurei trabalhar junto aos alunos utilizando e, principalmente envolvendo-os na elaboração dos projetos, mas o caminho para que esta forma de aprender se faça realidade em nossas escolas ainda é longo. Um dos grandes problemas que considero é a rápida mudança de paradigma que vivenciamos na educação brasileira, saltamos de uma teoria para outra sem nem mesmo conhecê-la por completo, como foi o caso do construtivismo, pedagogia dos projetos, interacionismo e por áí vamos caminhando sem vivenciar nenhuma delas de forma concreta eintegral.

  23. @luainternauta via twitter : Queria saber sobre os cuidados necessários, em que é preciso tomar cuidado quando se trab com cel na ed por exemplo?

  24. @ademarfey via twitter A mobilidade não vai atrapalhar o aluno no sentido dele não ter mais um local fixo para estudar e enviar suas tarefas?

  25. Olá, caros amigos… Trabalho já a algum tempo usando dispositivos móveis (celulares) como recurso auxiliar no ensino de Física para o Ensino Médio aqui em uma escola estadual de Campo Grande, MS. Meu trabalho é um pouco diferente das demais iniciativas tanto na abordagem quanto na técnica. Tudo o que eu faço não envolve custo nenhum nem para mim e nem para meus alunos, e procuro usar o critério da inclusão digital, isto é, não são os celulares que devem se adaptar às minhas atividades, e sim o contrário… minhas atividades que devem buscar atingir a maioria dos equipamentos que os alunos já trazem para sala de aula. Trabalho criando Applets Java que são instalados nos celulares semelhantemente aos jogos que costumam ser comprados das operadoras. Esses Applets são quizzes com um resumo da teoria, além de questões de pergunta e resposta. Quem tiver curiosidade em saber mais sobre meu trabalho, é só dar uma espiada no meu Blog pessoal… aqui: http://www.seraoextra.blogspot.com/search/label/Celulares na educação

    Abraços…

    Prof. Suintila

  26. Ano passado recebí uma equipe de reporteres em sala de aula, que vieram ver como desenvolvo meu trabalho usando celulares como recurso pedagógico auxiliar. O resultado dessa visita pode ser visto no link abaixo, e creio que ajudará muito nas discussões que estão ocorrendo neste espaço.

    Aqui: http://www.noticias.ms.gov.br/index.php?templat=vis&site=136&id_comp=1068&id_reg=116572&voltar=home&site_reg=136&id_comp_orig=1068

    Abraços,

    Prof. Suintila

  27. Pingback: Agenda Twitcam 04/2011 « Internetando

  28. @jugense: pergunta: Como o crescente acesso as tecnologias móveis podem influenciar na aprendizagem de Línguas Estrangeiras (Inglês)?

  29. É possível, apesar da lei proibitiva, incutir nos alunos uma cultura que desvirtue o uso dos aparelhos móveis, tais como o celular e o ipod, como entretenimento, em virtude de uma aplicação responsável e produtiva no contexto educacional?

    Obrigado.

  30. Qualquer criança, mesmo sendo ignorante quanto ao aprendizado em sala de aula, muita vez, ele será capaz de conhecer e atuar na web, melhor do que muitos professores. É rudeza, em pleno Século XXI, se continuar com gis, quadro, fórmulas e tudo aquilo que, definitivamente provado, não motiva o aluno ao avanço escolar. O professor é o único responsável por sua turma, não importando a rudeza ou seja lá o que for, dos superiores. Se capacitou a ensinar, que ensine!

  31. Pingback: Jornalista Amanda Meloni » Debate: Educação, Mobilidade e Aprendizagem por Projetos acontece nesta terça-feira via twitcam

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s